Clínica | Lúcio Gama

Clínica

Desde 1996, a clínica Lúcio Gama – Cirurgia Plástica busca a excelência e qualidade no atendimento. Situada na Rua Tomás Gonzaga, 802 – salas 604/605 – Lourdes, região nobre da capital mineira, nosso consultório conta com estruturas da melhor qualidade para realizar os procedimentos que exigem maior atenção e cuidado, todos com regulamentação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Em nossa clínica, os pacientes têm todo o auxílio necessário, que começa na primeira consulta e se estende até o período pós-operatório, para garantir sempre o apoio e a excelência de nosso trabalho.

Orientações Gerais

Todos os exames laboratoriais da clínica são exigidos com a antecedência, no máximo um mês, para que ainda sejam recentes na data da cirurgia. Assim, qualquer alteração pode ser diagnosticada e tratada.

Acompanhada do pedido de exames laboratoriais, é realizada a avaliação de risco cirúrgico, podendo ser feita por um dos cardiologistas de nossa equipe.

Um dado importante é que o paciente deve adquirir previamente os medicamentos e materiais prescritos na receita, levando-os no dia de sua cirurgia.

 

Anestesias

Nossa clínica utiliza a anestesia peridural alta com sedação, que é aplicada pelo nosso anestesiologista de ampla experiência com a técnica. A vantagem desta anestesia é que ela não provoca irritação na garganta e quase não produz vômitos. Somente em casos excepcionais é que utilizamos a anestesia local ou geral. Durante o período que o paciente estiver na clínica, é monitorado pelo anestesista, o que é de suma importância para a realização de nossas cirurgias.

ENTENDA MAIS SOBRE OS PROCESSOS DA CIRURGIA PLÁSTICA

Atenção,

Elaboramos esse com muita atenção e cuidado com o intuito de abranger os vários aspectos da cirurgia plástica, extremamente relevantes para conhecimento de cada paciente. Portanto, é muito importante que você leia atentamente cada frase para compreender e estar familiarizado com a cirurgia que pretende realizar. Para tomar uma decisão madura e um tratamento mais tranquilo, com menor ansiedade, é imprescindível ler os textos e receber as orientações na consulta médica. Esses dois fatores é o que lhe trarão o entendimento suficiente sobre o procedimento. Lembre-se que, o seu médico assistente é o profissional apto a lhe orientar e ficará sempre a disposição para tirar suas dúvidas. Nunca deixe de procurá-lo sempre que tiver necessidade.

Boa Leitura!


Aos nossos pacientes

Os próximos textos mostrarão a você muitos esclarecimentos sobre as dúvidas mais frequentes dirigidas ao cirurgião plástico. A maioria das perguntas é feitas por pacientes que desejam realizar algum tipo de cirurgia. Por isso, os textos foram elaborados a fim de oferecer aos nossos pacientes um alo nível de informação e facilitar a compreensão de nossas condutas.

Nossa relação

Existe um caminho a ser percorrido para que possamos atingir o nosso objetivo comum, e esse caminho inicia-se em nosso relacionamento. Para oferecer o melhor resultado para você, passamos a ser cúmplices da mesma tarefa. Assim, a nossa relação médico-paciente começa a basear-se na, sinceridade, na amizade, na honestidade e na confiança, das quais prezamos e, se em qualquer momento você tiver dúvidas, não deixe de nos perguntar.

Consultas e retornos

No período pré-operatório, é preciso cumprir todos os processos para se ter uma cirurgia programada. Os retornos são determinados desde a 1ª consulta, para esclarecer sobre os aspectos da cirurgia almejada. Apenas no momento em que você se sentir consciente e pronto é que a decisão deve ser tomada. Depois da cirurgia, os retornos ao consultório devem ser feitos a partir do dia seguinte a operação e repetidos posteriormente duas vezes por semana. Após 30 dias, os retornos passam a ser mensais, até completar 12 meses da cirurgia. Após o 1º ano, os pacientes precisam voltar ao consultório apenas uma vez ao ano, para realizarem o controle e a documentação fotográfica.

Previsibilidade dos resultados

O principal objetivo da cirurgia plástica é fornecer uma aparência melhor para o seu contorno corporal, com o mínimo de risco para sua saúde. No entanto, você não pode esperar uma transformação milagrosa com o procedimento, para que não fique desapontado. Isso porque a cirurgia plástica possui algumas limitações e não faz milagres. A Cirurgia Plástica é uma mistura de arte e técnica, não sendo uma ciência exata e não estando sob total controle do cirurgião nem do paciente (bem como a cicatrização). Não é possível medir e garantir resultados. Estes, no entanto, possuem certo grau de previsibilidade que são determinados por vários fatores: idade, espessura e qualidade da pele, região a ser operada, época e condições da cirurgia e, principalmente, a qualidade e especialização da equipe cirúrgica. Todos estes aspectos influenciam o resultado final do procedimento de forma individual. Mas fique tranquilo. Estes detalhes serão conversados com você durante a consulta, assim, não restarão dúvidas quanto ao resultado esperado. As queixas e problemas dos pacientes nunca são os mesmos. Portanto, os resultados variam de pessoa para pessoa. A importância deste fato se dá ao procedimento ser discutido apenas pelo  seu cirurgião plástico.

Exames necessários

Os exames laboratoriais pré-operatórios são constantemente, servindo para avaliar sua aptidão clínica. Os mesmos são pedidos cerca de 30 (trinta) dias antes de sua cirurgia, para que seja possível identificar qualquer alteração em tempo suficiente para tratamento. Após identificar normalidades nos exames de sangue (hemograma completo, coagulograma, glicemia, dosagem de ureia e creatinina) e de urina (exame de urina rotina), a cirurgia pode ser realizada Conforme o histórico clínico do paciente, outros exames poderão ser necessários. Para os que forem fazer cirurgias de grande porte, a eletrocardiograma e Avaliação de Risco Cirúrgico, realizados por um médico cardiologista ou clínico geral, serão necessários. As pacientes da mamoplastia, com mais de 40 anos de idade e/ou com histórico familiar de câncer de mama e/ou atual ou pregressa de doença mamária devem realizar a mamografia e/ou ultrassom mamário. Todos os candidatos às cirurgias de grande porte podem ser analisados pela nossa psicóloga, que dará a orientação e o preparo necessário

Documentação de imagens

Para estudarmos com detalhes a área a ser operada, a documentação de imagens é imprescindível, para definir a melhor técnica para o seu caso. É importante também fazer a comparação entre o pré e pós-operatório, para identificarmos os benefícios da cirurgia, o que também é muito útil para realizar avaliações futuras, caso o paciente queira fazer uma nova cirurgia. O tipo de fotografia utilizado em nossa clínica é tanto a convencional quanto a digital.

Digitalização de Imagens

Nossa clínica é uma das primeiras a utilizar a digitalização gráfica de imagens em Minas Gerais. No período em que foi implantada, uma pesquisa realizada entre nossos pacientes mostrou que cerca de 80% deles gostariam de saber sobre o resultado final de sua cirurgia. É importante lembrar que, não são os computadores que realizam as cirurgias e as imagens são produzidas em bidimensionalidade. A digitalização é um método excelente para arquivar, estudar, comparar e medir. Quanto à simulação de resultados, atualmente acreditamos ser uma técnica inapropriada e, por orientação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Estética e Reconstrutiva, nossa clínica não utiliza a digitalização para simular o resultado de uma cirurgia plástica.

Custo da Cirurgia

A qualidade de um serviço prestado está associada ao bom resultado o menor risco de complicações. Portanto, a medicina segura e de alta qualidade é incompatível com baixos preços. Existe uma relação custo/benefício muito bem estabelecida. Os médicos competentes, bem formados e especializados, as clínicas ou hospitais bem equipados, uma equipe completa, os cuidados no pós-operatório (curativos) e os materiais e medicamentos de qualidade, têm um custo elevado. Quando se abre mão desses itens, os valores podem ser menores, mas sem promessa de satisfação e bom resultado. Portanto, buscamos oferecer um serviço confiável com o menor custo possível. Em todas as cirurgias, ao menos dois médicos cirurgiões plásticos e um anestesiologista experiente acompanha o processo do início ao fim. As cirurgias são feitas em locais com plena segurança, com materiais e medicamentos de qualidade. Não cabe ao paciente fazer comparações com orçamentos de terceiros em condições não similares. Pesquise com nossa gerência uma maneira de pagamento que mais se adapta ao seu orçamento. Quando indicados, os terão custo somente dos materiais e medicamentos. Se houver a necessidade da intervenção do anestesiologista, um taxa extra será cobrada.

O Dia da Cirurgia

Você recebe nossa visita no Hospital ou Clínica antes e após a cirurgia, assim como de outros membros da equipe. Nossa equipe inclui: anestesiologista, auxiliares e instrumentadores, inteiramente solícitos, que prestarão cuidados a você. Enfermeiras particulares não são necessárias, pois você receberá cuidados contínuos da equipe de enfermagem do Hospital ou Clínica de sua opção. Na maioria dos casos é obrigatória a presença de um acompanhante (geralmente um familiar próximo) durante o período de sua internação, devido às normas internas da instituição hospitalar.

O procedimento anestésico

Um assunto polêmico e que sempre traz dúvidas e receios para os pacientes é a anestesia. Isso se deve as informações leigas, que nem sempre traduzem a verdade. Atualmente, com a evolução das técnicas da medicina, a anestesia se tornou um fator de grande segurança e conforto para o paciente. Em nossas cirurgias, um anestesiologista é escalado exclusivamente para prestar atenção ao nosso paciente durante todo período da cirurgia. Após a internação, o paciente recebe a visita do anestesiologista, que informará sobre o procedimento selecionado. Todos os anestesiologistas de nossa clínica possuem grande experiência e oferece total tranquilidade para que a equipe se concentre exclusivamente no procedimento. As técnicas anestésicas que podem ser utilizados são a isolada ou conjuntamente. A escolha do tipo a ser empregado fica a critério da análise do anestesiologista, entretanto, antes de qualquer coisa, discutimos com você as possibilidades de escolha. Poderíamos citar técnicas como: anestesia local (sozinha ou associada à outra técnica), anestesia geral (inalatória, venosa - sedação - ou balanceada) e anestesia por bloqueio (raquidural, peridural, intercostal, etc.). A técnica escolhida pelo anestesiologista leva em conta uma série de fatores, tais como: idade e condições clínicas do paciente, histórico de outras anestesias a que o paciente foi submetido, região a ser operada, tempo da cirurgia, etc. Mas, independente do tipo de anestesia, o paciente não terá dor ou desconforto durante o procedimento. A Sociedade Brasileira de Anestesiologia determina normas para utilização de anestesia local, assim como para o tipo de monitorização e assistência necessários para cada porte de cirurgia, que seguimos íntegra e fielmente. Assim, empregamos a anestesia local pura somente naqueles casos de cirurgias ambulatoriais de pequeno porte. Como frequentemente nos perguntam se a anestesia geral é “perigosa”, gostaríamos de expressar nossa opinião: a anestesia geral conduzida por um anestesiologista competente, experiente e assessorado pela monitorização recomendada é extremamente segura e certamente constitui-se em opção das mais confortáveis, tanto para o paciente como para a equipe cirúrgica.

As Cicatrizes da Cirurgia

Qualquer técnica cirúrgica implica em realização de incisões (via de acesso para que o cirurgião execute a técnica determinada). Essas incisões resultam em cicatrizes, portanto, o cirurgião plástico sempre busca pontuar: o menor tamanho, a melhor localização, que ao menos possibilitem o disfarce através de vestes, cabelos ou pelos. Assim, as cicatrizes poderão ser pouco estigmatizantes. O resultado final de uma cicatriz dependerá de outros fatores, como os cuidados no período pós-operatório e o mecanismo de cicatrização do paciente. Quando o organismo do paciente não faz uma boa cicatrização, há a necessidade da interferência do médico e do próprio paciente, para obter a cicatriz que queremos. Sendo assim, é impossível prometermos um determinado aspecto para a cicatriz. Em percentualidade, cerca de 80% dos pacientes têm uma boa cicatrização e 20% têm uma cicatrização regular a ruim (queloidianas, pigmentadas, hipertróficas ou alargadas). Levando esses fatores em conta, é necessário que você entenda sobre a cicatriz do seu caso, que será esclarecida previamente a você, em nosso consultório.

Duração da Cirurgia

Chamamos de tempo cirúrgico ou tempo real de cirurgia aquele estritamente necessário à realização do procedimento cirúrgico, variável de acordo com o seu nível de complexidade. O procedimento cirúrgico inicia-se à primeira incisão e conclui-se ao término do curativo da região operada. Chamamos de tempo de sala todo período em que o paciente encontra-se nas dependências do Bloco Cirúrgico. Nos textos específicos sobre cada cirurgia, nos referimos sempre ao tempo real de cirurgia. Não existindo motivos de força maior, nossas cirurgias invariavelmente respeitam o horário marcado. Ao início e ao término do procedimento cirúrgico seus acompanhantes são informados por um membro do corpo de enfermagem do Hospital ou Clínica, evitando a compreensível ansiedade dos mesmos.

Período de Internação

Independentemente do caso, o paciente seu(s) acompanhante(s) devem chegar ao hospital ou clínica cerca de 1 hora antes do horário previsto para começar a cirurgia. Não há necessidade de internação na véspera, seja qual for o tipo de cirurgia plástica. Em casos determinadas cirurgias ambulatoriais, não há obrigatoriedade em ocupar-se o apartamento, isso porque a recuperação do paciente pode ser realizada na sala de recuperação anestésica, de onde o mesmo receberá alta após tal recuperação. Na maioria das cirurgias de grande porte, é obrigatória a internação formal. Mas, em mais da metade dos casos a alta é efetivada no mesmo dia da cirurgia, após avaliação do anestesiologista e da equipe cirúrgica. Em ¼ dos casos de abdominoplastias, em alguns tipos de lifting facial, gluteoplastias de aumento e cirurgias múltiplas, a alta é efetivada na manhã do dia seguinte, após a avaliação médica. Para a segurança do paciente, ele só recebe alta após a certeza de que não há grande benefício em permanecer internado e que não existe risco associado em seu retorno ao domicílio.

Cuidados de pré e pós-operatório

Alguns cuidados são necessários nos períodos pré e pós-operatório, como não usar medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (AAS®, Aspirina®, etc.) uma semana antes ou depois da cirurgia. O paciente deve evitar o cigarro durante 15 dias antes e 15 dias depois da cirurgia, higienizar a região a ser operada alguns dias antes do procedimento com sabonete antisséptico (Soapex® ou Clorohex®), não expor a região operada ao sol, evitar certas atividades, etc. Caso fique alguma  dúvida, o paciente deve nos perguntar.

Sutura e retirada de pontos

Em nossa clínica, utilizamos somente fios (pontos) sintéticos (nylon monofilamentar, polipropileno monofilamentar e poliglactina) de excelente qualidade (como Ethicon® e B. BRAUN ®). Em determinados casos e para determinadas situações, utilizamos a cola de cianoacrilato (Histoacyl blue®), fabricada pela alemã B.Braun. Que não precisa ser retirada, pois é removida espontaneamente, bem como os fios, pois o próprio organismo o absorve. As suturas realizadas com fios que necessitam de remoção são feitas em consultório, em um período de tempo que varia de acordo com cada situação. Nas suturas simples os pontos são retirados precocemente e nas suturas em que o fio fica sob a pele e somente as extremidades são visíveis, a retirada de pontos pode ser a partir de duas semanas. Na maioria das vezes, a retirada de pontos é indolor.

O curativo inicial

Cada incisão e/ou área operada é protegida por um curativo diferente, com a finalidade de proteger as incisões de eventuais traumas ou contaminações o modelar a área operada. Os também proporcionam uma boa cicatrização. Para cada tipo de cirurgia existe um período inicial em que o curativo deverá permanecer intacto e seco. Em todos os curativos é utilizado um tipo especial de esparadrapo, feito de papel hipoalergênico, chamado micropore®. Também são utilizados outros materiais para proteção e/ou modelagem da região operada, tais como: soutiens, cintas, faixas, splints, talas compressivas, etc.

A paciência necessária

De forma geral, após o trauma cirúrgico ocorrem efeitos normais de evolução, como o edema (inchaço), acomodação dos tecidos e o processo cicatricial, dependendo do tipo de cirurgia e da resposta individual de cada paciente. A cicatrização definitiva dos tecidos somente se dará após vários meses, quando os tecidos adquirem consistência normal, quando a cicatriz torna-se, muitas vezes, tênue e discreta. Muitos benefícios gerados pela cirurgia já podem ser observados precocemente, mas podem ocorrer mudanças ao longo dos meses. Durante as consultas todas as alterações que possam ocorrer no pós-operatório da cirurgia pretendida por você serão discutidas com detalhes, para que a paciência não se transforme em ansiedade.

Avaliação do resultados

Dependendo do tipo de cirurgia, após um determinado número de meses de pós-operatório, faremos uma avaliação do resultado obtido, é quando temos certeza de que não mais ocorrerão mudanças em sua cirurgia. Existem possibilidades de obtenção do resultado pretendido ou necessidade de retoque. Os retoques são cirurgias pequenas, rápidas, normalmente sob anestesia local e que visam ao aperfeiçoamento do resultado de uma cirurgia prévia, através de correções de detalhes. Eles acontecem em mãos de qualquer cirurgião plástico, mas o importante é que o número de retoques seja pequeno em relação ao número de cirurgias realizadas, o que felizmente ocorre em nossa Clínica.

Simetrias e assimetrias

O nosso corpo humano possui dois lados semelhantes, mas nunca idênticos, apresentando assimetrias perceptíveis ou não, consideradas discretas, se iguais ou menores de 15%. No período pós-operatório, a paciente passa a observar-se com extremo cuidado e algumas vezes nota pequena assimetria que já existia anteriormente, mas nunca foram percebidas. Durante uma cirurgia sempre tentamos corrigir ou atenuar as assimetrias e conseguimos, com frequência, este objetivo.

As complicações possíveis

Nós definimos como complicação as alterações na evolução habitual de algum procedimento que possa implicar em modificações de comportamento ou cuidados extras. Complicações podem acontecer em qualquer cirurgia, contudo, em Cirurgia Plástica as complicações felizmente são estatisticamente incomuns e quando ocorrem são, na maioria das vezes, de natureza simples e passíveis de tratamento. As complicações sérias são raras. O paciente e sua família devem ter a saber de que os riscos de complicações, qualquer que sejam elas, apesar de pequenos, existem. Nossa conduta é sempre no sentido da precaução e julgamos que a melhor forma de prevenção é a opção por qualidade. Como muitos pacientes nos questionam sobre infecção, esclarecemos: é incomum em qualquer tipo de cirurgia plástica, usamos antibioticoprofilaxia em todos os casos, aplicamos antibioticoterapia em todos os pacientes cuja probabilidade de infecção é maior e somente realizamos nossas cirurgias em Hospitais ou Clínicas que sejam rígidos na influência da infecção hospitalar. As complicações vão desde cicatrizes inestéticas, seromas, hematomas, alergias, etc até risco de óbito. Nos textos exclusivos sobre cada cirurgia plástica você encontrará informações a respeito das complicações específicas daquele tipo de cirurgia; caso deseje informação completar sobre outras, poderemos discutir detalhadamente em consultório.

E finalizando...

Estas questões foram para você ter noções sobre Cirurgia Plástica, a nossa relação, os pré-requisitos para a cirurgia e alguns fatos que frequentemente são omitidos. Leia, a seguir, o texto específico da cirurgia de seu interesse, que traz respostas às dúvidas mais frequentes.

cirurgiao plastico