Cirurgia plástica na terceira idade

7 de janeiro de 2014 as 17:43

cirurgia-plastica-terceira-idadeEstatísticas recentes têm mostrado que a cirurgia plástica está se tornando muito aceita entre pessoas com idade superior a 65 anos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, 56,04% dos cirurgiões registraram um aumento no atendimento de pacientes com idade acima de 65, nos últimos 10 anos. No ranking mundial da cirurgia plástica, o Brasil ocupa o segundo lugar com 905 mil procedimentos realizados em 2011, perdendo somente para os Estados Unidos, com 1,1 milhão de cirurgias, segundo pesquisa realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) em parceria com a SBCP-SP.

Uma vez que toda a população está a envelhecer, pessoas com 60 e 70 anos ainda continuam com uma vida muito ativa. Os brasileiros estão envelhecendo e seu tempo de vida está aumentando. Os procedimentos cirúrgicos mais comuns entre os 65 anos incluiu facelift, cirurgia de pálpebras e lipoaspiração. No entanto, outras cirurgias que são comuns entre os pacientes mais jovens, tais como aumentos do peito e elevação de mama, estão ganhando popularidade com os brasileiros mais velhos também.

Especialistas dizem que é importante para os pacientes, principalmente os mais velhos, estarem cientes de possíveis efeitos cirúrgicos e ao fato de que a idade avançada pode significar que a recuperação demore um pouco mais do que o habitual. Em alguns casos, pode ser preciso uma autorização médica de outro médico antes de realizar os procedimentos estéticos. É imprescindível que aqueles que querem realizar uma cirurgia plástica por razões estéticas sejam honestos sobre seu histórico médico com o cirurgião.

 

O importante é a segurança na cirurgia plástica

Estudos têm mostrado que risco cirúrgico em pessoas de terceira idade não é significativamente maior do que os procedimentos realizados em pacientes mais jovens, quando os pacientes mais velhos são corretamente orientados. Assim, a idade não é o fator determinante mais importante na seleção de candidatos adequados para os procedimentos, mas sim a saúde. É importante rastrear as condições médicas que podem influenciar a cirurgia, tais como a diabetes ou doenças cardíacas, ou qualquer coisa que possa impedir a circulação ou a resistência do sistema imunológico. Na verdade, isso é fundamental em pacientes mais jovens também.

Na nova geração da terceira idade, será muito mais comum encontrar cada vez mais idosos que procuram a cirurgia plástica estética. Quer se trate de facelift ou blefaroplastia, todos devem saber que a segurança vem em primeiro lugar. Por isso, é importante relatar qualquer condição médica que você possa ter para que seja possível avaliá-la com o cirurgião no momento da consulta.

 

Veja também!

cirurgia plastica